Jornal Vascular Brasileiro
https://www.jvascbras.org/article/5df0f1610e88257644b5f734
Jornal Vascular Brasileiro
Original Article

Fatores de risco associados a infecção, amputação e mortalidade em pacientes submetidos a pontes arteriais infra-inguinais. Estudo retrospectivo de 27 casos

Risk factors associated with infection, amputation and mortality in patients submitted to infrainguinal arterial bypass. A retrospective review of 27 cases

Luís Henrique Gil França ; Henrique Jorge Stahlke Jr. ; Mariana Tosta Garschagen ; Carlos Frederico Rodrigues Parchen

Downloads: 0
Views: 66

Resumo

Objetivos: Avaliar os fatores de risco de infecção pós-operatória em
cirurgias de revascularização infra-inguinal e determinar sua associação
com a mortalidade e a amputação.
Método: Foram analisadas, mediante estudo retrospectivo, 241 cirurgias
em 220 pacientes submetidos a revascularização de membros inferiores
durante um período de 5 anos. Foram incluídas as cirurgias eletivas
ou de urgência, realizadas apenas abaixo do ligamento inguinal, para tratamento
de claudicação incapacitante, isquemia crítica, trombose arterial
aguda e correção de aneurisma periférico em membros inferiores. Foram
excluídos os pacientes submetidos a cirurgias por trauma vascular, infecção
prévia no membro afetado, reoperações sobre locais já infectados e
óbitos pós-operatórios precoces (até 7 dias).
Resultados: A incidência de infecção pós-operatória foi de 12,27% e
a taxa de amputação, no grupo infectado, foi de 29,62%. Os fatores de
risco com significância estatística (P < 5%) para infecção foram sexo,
tabagismo, cirurgia prévia, uso de prótese como enxerto (PTFE e Dacron),
indicação de cirurgia e reoperações. Os fatores de risco com maior efeito
foram sexo masculino, cirurgias eletivas e pacientes não fumantes (odds
ratio = 15, nove e oito vezes maior, respectivamente). Os fatores de risco
de infecção associados com uma chance maior de amputação foram as
bactérias gram-negativas e o uso de prótese como enxerto (odds ratio = 26
e 16, respectivamente). Na análise do óbito, não houve fatores com significância
estatística. A estimativa da probabilidade de um paciente que
apresentou infecção entrar em óbito foi de 14,81%.
Conclusões: Os fatores de risco para infecção pós-operatória em
pontes arteriais infra-inguinais são reoperação, indicação de cirurgia
(cirurgias eletivas), tipo de enxerto (próteses de PTFE e Dacron) e
cirurgia prévia. Os fatores associados com um maior risco de amputação
são o tipo de bactéria (bactérias gram-negativas) e o uso de prótese
como enxerto vascular (PTFE e Dacron). Não foram observados fatores
de risco associados significativamente a mortalidade em pacientes
com infecção pós-operatória.

Palavras-chave

isquemia, cirurgia, membros inferiores, infecção.

Abstract

Objectives: To evaluate the risk factors of infection after lower
extremity revascularization and their association with amputation and
mortality.
Method: The records of 241 surgeries in 220 patients who underwent
surgical management of the ischemic lower extremity below the inguinal
ligament during a period of 5 years were reviewed. We included the elective
or urgency procedures for treatment of chronic critical limb ischemia,
limb threatening ischemia, acute limb ischemia and treatment of peripheral
aneurysms of the lower limbs. The patients submitted to surgical treatment
resultant from vascular trauma, previous infection in the affected limb,
reoperation in infected fields and death during the first 7 post operatory
days were excluded.
Results: The incidence of infection was 12.27% and the amputation
rate 29.62%. The risk factors with statistic significance (P < 5%) were
sex, smoking, previous procedures, reoperation, surgery indication and
type of vascular graft (prosthesis). Male sex, non-smoking patients and
elective procedures had an odds ratio of 15, 9 and 8, respectively. Patients
with infection caused by gram negative bacteria and those with vascular
prosthesis were at an increased risk for amputation of 26 and 16 (odds
ratio), respectively. No risk factor with statistic significance was associated
with mortality. The mortality rate was 14.81%.
Conclusions: The risk factors of infection, after lower extremity
revascularization, are previous procedures, reoperation, surgery indication
(elective) and type of vascular graft (prosthesis). The risk factors identified
that influence amputation are type of bacteria (gram-negative strains) and
use of vascular prosthesis. No risk factors of infection were associated
with mortality in this study.

Keywords

ischemia, surgery, lower extremity, infection.
5df0f1610e88257644b5f734 jvb Articles
Links & Downloads

J Vasc Bras

Share this page
Page Sections