Jornal Vascular Brasileiro
https://www.jvascbras.org/article/5df0f3e30e88254549b5f733
Jornal Vascular Brasileiro
Original Article

Avaliação do efeito da meia elástica na hemodinâmica venosa dos membros inferiores de pacientes com insuficiência venosa crônica

The effects of elastic stockings on the venous hemodynamic of patients with chronic venous insufficiency

Marcondes A. M. Figueiredo ; Augusto D. Filho ; André L. S. Cabral

Downloads: 0
Views: 57

Resumo

Objetivo: Avaliar, através da pletismografia a ar, o efeito que o uso das
meias de compressão elástica (30/40 mmHg) exerce na hemodinâmica venosa
de pacientes em estágio avançado de insuficiência venosa crônica.
Método: Avaliaram-se 29 membros de 16 pacientes com idade média de
44,3 anos (três do sexo masculino e 13 do sexo feminino). Em 19 membros
havia insuficiência venosa primária, em 10 membros havia insuficiência venosa
crônica secundária e, de acordo com a classificação clínica CEAP (C - clínico; E
- etiológico; A - anatômico; P - patofisiológico), 12 membros apresentavam
grau C4 (pacientes com lipodermatoesclerose e pigmentação de pele) e 17 membros
apresentavam grau C5 (pacientes com lipodermatoesclerose, pigmentação
de pele e úlcera de perna cicatrizada). Inicialmente, os pacientes foram submetidos
à pletismografia a ar (modelo SDV 2000, Angiotec, Belo Horizonte, Brasil),
sem o uso da meia elástica (T0); após o exame, o paciente foi orientado a
usar meia elástica (meia extra alta - Kendall, Sara Lee, Brasil) (30/40 mmHg,
¾), por um período de 7 a 10 dias. Após este período de adaptação, o paciente
foi submetido a novo exame de pletismografia com a meia (T1). Finalmente,
uma hora após a retirada da meia, nova avaliação pletismográfica foi realizada
(T2). O refluxo foi avaliado por duplex scan venoso (ATL Phillips, modelo HDI
5000, transdutor L47). Pacientes com índice tornozelo-braquial < 0,8 e incapazes
de realizar a pletismografia a ar foram excluídos.
Resultados: As meias foram mais efetivas no controle de: volume venoso,
índice de enchimento venoso, fração de ejeção e fração de volume residual em
pacientes com insuficiência venosa crônica primária. Com o uso das meias, reduziu-
se o refluxo venoso, verificando-se a queda do índice de enchimento
venoso de T0 - 6,03 ml/s para T1 - 4,84 ml/s (P < 0,05). A melhora se verificou,
também, no volume venoso, que diminuiu de T0 - 137,11 ml para T1 - 104,52
ml (P < 0,05). Com o uso da meia, observou-se a melhora da fração de ejeção,
ao comparar-se os momentos T0 - 64,55% e T1- 71,24% (P < 0,05). Ao retirar
a meia, no momento T2 - 62,93%, houve uma piora da fração de ejeção. As
diferenças encontradas na fração de volume residual nos momentos T0-T1
mostraram melhora desta variável com o uso da meia elástica.
Conclusão: As meias elásticas foram eficazes na melhora do volume venoso,
índice de enchimento venoso, fração de ejeção e fração de volume residual,
principalmente nos pacientes com insuficiência venosa crônica primária. E,
apesar de mostrar efeitos benéficos, os dados dem

Palavras-chave

insuficiência venosa, pletismografia, bandagens.

Abstract

Objective: To asses the effects of elastic stockings (30-40 mmHg)
on the venous hemodynamics of patients with chronic venous
insufficiency by using an air plethysmograph.
Patients and method: 29 limbs in 16 patients (three men and 13
women), mean age 44.3 years. For the assessment of venous
hemodynamic effects using air plethysmography SDV 2000 (Angiotec
– Belo Horizonte – Brazil), 19 limbs with primary venous
insufficiency and 10 with secondary venous insufficiency entered the
study; from these,12 were CEAP 4 and 17 were CEAP 5.
Measurements were taken at three moments: without stockings, using
them, and 1 hour after removal. Reflux was detected on duplex
scanning. Patients with ankle-brachial index < 0.8, and unable to
perform the air plethysmography were excluded.
Results: Elastic stockings were more efficient in the control of
venous volume, venous filling index, ejection fraction and residual
volume fraction in patients with primary chronic venous insufficiency.
When patients were wearing stockings, the vascularization flow index
had a significant decrease, T0 - 6.03 ml/s to T1 - 4.84 ml/s (P < 0.05).
The venous volume decreased from T0 - 137.11 ml to T1 - 104.52
ml (P = 0.004). By comparing moments T0 - 64.55% and T1 - 71.24%
(P = 0.0126) we concluded that there was an increase in the ejection
fraction while patients were wearing the stockings. The differences
found in the residual volume fraction were statistically significant
only for patients with primary chronic venous insufficiency.
Conclusion: Medical compression stockings were effective in
improving venous hemodynamics of patients with chronic venous
insufficiency, mainly in the group with primary chronic venous
insufficiency, by reducing the venous reflux, improving the venous
volume, the ejection fraction and the residual volume fraction.
Beneficial effects were reported only at the moment patients were
wearing the stockings.

Keywords

venous insufficiency, pletysmography, bandages.
5df0f3e30e88254549b5f733 jvb Articles
Links & Downloads

J Vasc Bras

Share this page
Page Sections