Jornal Vascular Brasileiro
https://www.jvascbras.org/article/5e221b2f0e8825d6236d0101
Jornal Vascular Brasileiro
Case Report

Efeitos do fortalecimento muscular da panturrilha na hemodinâmica venosa e na qualidade de vida em um portador de insuficiência venosa crônica

Effects of calf muscle strengthening on venous hemodynamics and on quality of life in a person with chronic venous insufficiency

Renata Cristina Magalhães Lima, Luciana Santiago, Regina Márcia Faria de Moura, Francisca Angélica Siqueira Filaretti, Carmem Sílvia Acyprestes de Souza, Solange Seguro Meyge Evangelista, Raquel Rodrigues Britto

Downloads: 17
Views: 1250

Resumo

Uma voluntária de 41 anos com insuficiência venosa crônica, diagnosticada há 21 anos, foi avaliada como classe 4 pela Classificação Clínica CEAP e classe 2 pelo Escore de Gravidade Clínica Venosa. Antes e após aplicação do protocolo, as seguintes variáveis foram mensuradas: força muscular de ambos os tríceps surais, através de dinamometria manual; função da bomba muscular das panturrilhas, através de pletismografia a ar; e qualidade de vida, através do questionário Nottingham Health Profile. Foram realizadas 30 sessões, com ênfase no membro inferior esquerdo. Observou-se um aumento de força muscular de 198,4% no tríceps sural esquerdo e de 28,3% no direito, associado a uma diminuição do volume venoso funcional de 2,2% no membro inferior direito e 3,4% no membro inferior esquerdo. Também houve redução da fração de volume residual de 2,7% no membro inferior direito e 38,5% no membro inferior esquerdo, e aumento da fração de ejeção de 17,8% no membro inferior direito e 45,5% no membro inferior esquerdo. O índice de enchimento venoso não apresentou alteração. Houve uma melhora de 66,7% no Nottingham Health Profile. Conclui-se que o fortalecimento da panturrilha pode melhorar a hemodinâmica venosa e a qualidade de vida de portadores de insuficiência venosa crônica.

Palavras-chave

insuficiência venosa, fisioterapia, qualidade de vida, pletismografia

Abstract

A 41 year-old volunteer diagnosed with chronic venous insufficiency 21 years ago was classified as class 4 by the CEAP Clinical Classification and as class 2 by the Venous Clinical Severity Score. The following variables were assessed before and after the training program: strength of the calf muscles in both legs; calf pump function, determined by air plethysmography; and quality of life, determined by Nottingham Health Profile scores. The protocol consisted of 30 sessions, with emphasis on the left lower extremity. Strength increases of 198.4% for the left and of 28.3% for the right calf muscles were observed, associated with a reduction of the functional venous volume on the right (2.2%) and left (3.4%) limbs. There was reduction of the residual volume fraction (2.7 and 38.5% for the right and left limbs, respectively); and an increase in ejection fraction of 17.8% on the right limb and of 45.5% on the left limb. However, there was no change in venous filling index. Quality of life improved 66.7% on the Nottingham Health Profile. We concluded that strengthening of the calf muscles may improve venous hemodynamics and quality of life in patients with chronic venous insufficiency.

Keywords

venous insufficiency, physical therapy, quality of life, plethysmography
5e221b2f0e8825d6236d0101 jvb Articles
Links & Downloads

J Vasc Bras

Share this page
Page Sections