Jornal Vascular Brasileiro
https://www.jvascbras.org/article/doi/10.1590/1677-5449.190064
Jornal Vascular Brasileiro
Original Article

Caracterização das pessoas amputadas de um hospital de grande porte em Recife (PE, Brasil)

Characterization of amputees at a large hospital in Recife, PE, Brazil

Ylkiany Pereira de Souza; Ana Célia Oliveira dos Santos; Luciana Camelo de Albuquerque

Downloads: 0
Views: 21

Resumo

Resumo: Contexto: A amputação de membros pode ser definida como um procedimento que consiste em separar do corpo um membro ou segmento dele.

Objetivos: Descrever o perfil dos procedimentos de amputações de membros realizados em um hospital estadual de grande porte.

Métodos: Estudo transversal do tipo descritivo e retrospectivo realizado em um hospital de grande porte da cidade de Recife (PE). Os dados foram coletados em registros de pacientes que foram submetidos à amputação no ano de 2017. Foram incluídos pacientes que tiveram seu membro amputado em 2017 e excluídos aqueles com informações ilegíveis ou incompletas.

Resultados: Foram realizados 328 procedimentos em 274 pacientes, a maioria do gênero masculino (57,7%). Houve predominância de amputações em membros inferiores (64,2%), de causa não traumática (86,5%) e atendimentos de urgência (96,4%). A maioria dos pacientes submetidos a amputações ficaram internados por um período de 11 a 25 dias (32,1%). Este estudo mostrou que a maioria das pessoas amputadas recebeu alta (69,7%) e uma parte foi a óbito, sendo os óbitos, no caso das amputações de membros inferiores, principalmente de pessoas idosas na faixa etária de 60 a 90 anos (76%), do sexo feminino (55%), e submetidas a uma amputação (91%).

Conclusões: Os dados apresentados neste estudo são alarmantes, principalmente ao se considerar que muitas das amputações poderiam ter sido evitadas, visto que foram decorrentes de complicações de doenças cuja prevenção e controle podem ser realizados em outros níveis de complexidade do sistema e com custo relativamente baixo.

Palavras-chave

amputação, desarticulação, membros superiores, membros inferiores

Abstract

Abstract: Background: Limb amputation can be defined as a procedure that consists of separating a limb or a segment of a limb from the body.

Objectives: To describe the profile of limb amputation procedures performed at a large hospital run by the state of Pernambuco (Brazil).

Methods: Cross-sectional descriptive and retrospective study conducted at a large hospital in the city of Recife, PE. Data were collected from the records of patients who underwent amputations during 2017. Records from patients who had had a limb amputation during 2017 were included, unless data were illegible or missing.

Results: A total of 328 procedures were performed on 274 patients, the majority of whom were male (57.7%). There was a predominance of lower limb amputations (64.2%), of non-traumatic causes (86.5%), and urgent treatment (96.4%). The majority of patients who underwent amputations remained in hospital for 11 to 25 days (32.1%). The study found that the majority of amputees were discharged (69.7%), although a proportion died. Deaths of lower limb amputees were primarily among elderly women in the age range of 60 to 90 years (76%), females (55%), and patients subjected to a single amputation (91%).

Conclusions: The data observed in this study are alarming, particularly considering that many of these amputations could have been avoided, since they were caused by complications of diseases that can be prevented and controlled at healthcare services of a lower level of complexity and at a relatively low cost.
 

Keywords

amputation, disarticulation, upper limbs, lower limbs

References

Reis G, Adroaldo-junior JC, Campos RS. Perfil epidemiológico de amputados de membros superiores e inferiores atendidos em um centro de referência. Rev Eletronica Saude e Ciencia. 2012 [citado 2018 fev 13];2(2):52-62. https://rescceafi.com.br/vol2/n2/Gleycykely-dos-Reis-52-62.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Diretrizes de atenção a pessoa amputada. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2013. 36 p.

Jesus-Silva SG, Oliveira JP, Brianezi MHC, Silva MAM, Krupa AE, Cardoso RS. Análise dos fatores de risco relacionados às amputações maiores e menores de membros inferiores em hospital terciário. J Vasc Bras. 2017;16(1):16-22. http://dx.doi.org/10.1590/1677-5449.008916. PMid:29930618.

Seidel AC, Nagata AK, Almeida HC, Bonomo M. Epistemologia sobre amputações e desbridamentos de membros inferiores realizados no Hospital Universitário de Maringá. J Vasc Bras. 2008;7(4):308-15. http://dx.doi.org/10.1590/S1677-54492009005000002.

Senefonte FRA, Rosa GRPS, Comparin ML, et al. Amputação primária no trauma: perfil de um hospital da região centro-oeste do Brasil. J Vasc Bras. 2012;11(4):269-76. http://dx.doi.org/10.1590/S1677-54492012000400004.

Departamento de Informática do SUS – DATASUS. Informações de Saúde (TABNET). Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2019 [citado 2018 fev 13]. http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sih/cnv/qiuf.def

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução 466/2012, de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial da União. 2012; Seção 1: 59. Portuguese. [citado 2018 fev 13]. http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf

Centro Colaborador da OMS para a Classificação de Doenças em Português – CBCD. Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde – CID-10. Vol. 1, 10. ed. In: Departamento de Informática do SUS – DATASUS. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo; 2008 [citado 15 jan 2019]. http://www.datasus.gov.br/cid10/V2008/cid10.htm

Borges AMF, Vargas MAO, Schoeller SD, Kinoshita EY, Ramos FRS, Lima DKS. Cirurgias de amputação realizadas em hospitais públicos de referência. Rev Enferm UFPE online. 2015;9(Supl.):9053-61.

Leandro GS, Parolim SC, Moro CMC, Carvalho DR. Mineração de dados na avaliação de óbitos após cirurgia de amputação. J Vasc Bras. 2018;17(1):10-8. http://dx.doi.org/10.1590/1677-5449.008317. PMid:29930676.

Lemos AP, Ribeiro C, Fernandes J, Bernardes K, Fernandes R. Saúde do homem: os motivos da procura dos homens pelo serviço de saúde. Revenferm UFPE online. 2017;11(Supl. 11):4546-53.

Peek ME. Gender differences in diabetes-related lower extremity amputations. Clin Orthop Relat Res. 2011;469(7):1951-5. http://dx.doi.org/10.1007/s11999-010-1735-4. PMid:21161738.

Thorud JC, Jupiter DC, Lorenzana J, Nguyen TT, Shibuya N. Reoperation and reamputation after transmetatarsal amputation: a systematic review and meta-analysis. J Foot Ankle Surg. 2016;55(5):1007-12. http://dx.doi.org/10.1053/j.jfas.2016.05.011. PMid:27475711.

Beaulieu RJ, Grimm JC, Lyu H, Abularrage CJ, Perler BA. Rates and predictors of readmission after minor lower extremity amputations. J Vasc Surg. 2015;62(1):101-5. http://dx.doi.org/10.1016/j.jvs.2015.02.021. PMid:25827965.

Borges WR. Fatores de risco para amputação em pacientes com isquemia crítica crônica dos membros inferiores. J Vasc Bras. 2017;16(2):180-1.

Santos DOLF, Assis PHC, Gouvea RM, et al. Amputação traumática e lesões graves de membros superiores. Rev Med Minas Gerais. 2011;21(4, Supl. 6):73-6.

Montiel A, Vargas MA, Leal SM. Caracterização de pessoas submetidas à amputação. Enfermagem em Foco. 2012;3(4):169-73. http://dx.doi.org/10.21675/2357-707X.2012.v3.n4.377.

Chamlian TR, Varanda RR, Pereira CL, Resende JM, Faria CC. Perfil epidemiológico dos pacientes amputados de membros inferiores atendidos no Lar Escola São Franciscoentre 2006 e 2012. Acta Fisiatr. 2013;20(4):219-23. http://dx.doi.org/10.5935/0104-7795.20130036.

Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular – SBACV. Estimativas SBACV. São Paulo: SBACV; 2018 [citado 2018 fev 13]. http://www.sbacv.com.br/imprensa/estimativas/

Kumar V, Abbas AK, Aster JC. Robbins & Cotran Patologia. Bases Patológicas das Doenças. 9. ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2010.

Prin M, Guglielminotti J, Mtalimanja O, Li G, Charles A. Emergency-to-elective surgery ratio: a global indicator of access to surgical care. World J Surg. 2018;42(7):1971-80. http://dx.doi.org/10.1007/s00268-017-4415-7. PMid:29270649.

Stahlschmidt A, Novelo B, Freitas LA, et al. Predictors of in-hospital mortality in patients undergoing elective surgery in a university hospital: a prospective cohort. Rev Bras Anestesiol. 2018;68(5):492-8. http://dx.doi.org/10.1016/j.bjan.2018.04.001. PMid:29776670.

Rolim D, Sampaio S, Gonçalves-Dias P, Almeida P, Almeida-Lopes J, Teixeira JF. Mortalidade depois da amputação. Angiol Cir Vasc. 2015;11(3):166-70. http://dx.doi.org/10.1016/j.ancv.2015.06.001.

Bortoletto MSS, Viude DF, Haddad MCL, Karino ME. Caracterização dos portadores de diabetes submetidos à amputação de membros inferiores em Londrina, Estado do Paraná. Acta Scientiarum. Health Sciences. 2010;32(2):205-13. http://dx.doi.org/10.4025/actascihealthsci.v32i2.7754.

Oliveira JDC, Taquary SAS, Barbosa ADM, Veronesi RJB. Pé diabético e amputações em pessoas internadas em hospital público: estudo transversal. ABCS Health Sci. 2016;41(1):34-9. http://dx.doi.org/10.7322/abcshs.v41i1.843.
 

5dbb25570e8825992287de2c jvb Articles

J Vasc Bras

Share this page
Page Sections