Jornal Vascular Brasileiro
https://www.jvascbras.org/article/doi/10.1590/1677-5449.20140070
Jornal Vascular Brasileiro
Original Article

Quality of life in chronic venous patients who do or do not wear compressive stockings

Qualidade de vida em doentes venosos crônicos usuários e não usuários de meias elásticas

Bruno Vieira Melo; Priscilla Gabriela Moreira Dantas Tojal; Flávia de Jesus Leal; Renata Cardoso Couto

Downloads: 0
Views: 46

Abstract

BACKGROUND: Wearing elastic compression stockings is of considerable significance for patients with chronic venous disease (CVD), since their physiological effect is to improve venous hemodynamic parameters, making them a good treatment option that can impact on patients' quality of life. OBJECTIVE: To assess quality of life in patients with chronic venous disease who do or do not wear elastic stockings. METHODS: This was a cross-sectional observational study assessing a sample of 50 CVD patients of both sexes, divided into two groups, one who wear elastic stockings and another who do not. Primary variables were the domains of the SF-36 (Medical Outcomes Study Short-form 36) and AVVQ (Aberdeen Varicose Veins Questionnaire) and secondary variables were: age; sex; physical activity; educational level; profession; wearing elastic stockings (frequency, pressure and type); elevation of lower limbs; itching and CEAP classification. The SF-36 and AVVQ quality of life questionnaires were administered to patients. Statistical significance was set at p<0.05. RESULTS: Wearing elastic stockings proved beneficial for the quality of life of people with chronic venous disease. For the AVVQ disease-specific questionnaire the greatest improvements were in overall score (p=0.0028) and the extent of varicosity domain (p=0.000). The SF-36 domains role emotional (p=0.017) and functional capacity (p=0.000) both improved. CONCLUSIONS: Wearing elastic stockings is an effective treatment for CVD that improves disease-specific quality of life and also leads to improvements in general quality of life.

Keywords

quality of life, compression stockings, venous insufficiency

Resumo

CONTEXTO: O uso de Meias Elásticas Compressivas em pacientes com doença venosa crônica (DVC) é de grande significância, na medida em que reflete, na sua atuação fisiológica, melhora nos padrões hemodinâmicos venosos, configurando-se como boa opção terapêutica e podendo interferir na qualidade de vida do indivíduo. OBJETIVO: Avaliar a qualidade de vida de indivíduos com doença venosa crônica usuários e não usuários de meias elásticas. MÉTODOS: Trata-se de um estudo observacional de corte transversal, no qual foram avaliados 50 pacientes de ambos os sexos, com DVC, compondo dois grupos: um de usuários e o outro, de não usuários de meias elásticas. Teve, como variáveis primárias, os domínios dos questionários SF-36 (Medical Outcomes Study Short-form 36) e AVVQ (Aberdeen Varicose Veins Questionnaire); constituíram as variáveis secundárias: idade; sexo; atividade física; escolaridade; profissão; uso de meias elásticas (frequência de uso, pressão e tipo); elevação de membros inferiores; presença de prurido, e CEAP. Os pacientes responderam aos questionários de qualidade de vida SF-36 e AVVQ. A significância estatística considerada foi p<0,05. RESULTADOS: A utilização da meia elástica mostrou benefício na qualidade de vida dos indivíduos portadores de doença venosa crônica. O aspecto mais favorecido no questionário específico AVVQ relacionou-se à sua pontuação total (p=0,0028) e ao domínio Extensão da varicosidade (p=0,000). Já quanto ao SF-36, podem-se apontar o aspecto emocional (p=0,017) e a capacidade funcional (p=0,000). CONCLUSÃO: O uso de meias elásticas apresenta-se como uma terapêutica eficaz na DVC, melhorando a qualidade de vida específica e havendo, também, ganho na qualidade de vida geral.

Palavras-chave

qualidade de vida, meias de compressão, insuficiência venosa

References

Angélico RCP. Úlcera venosa crônica:qualidade da assistência e o conhecimento sobre o direito a saúde. .

Figueiredo MAM, Filho AD, Cabral ALS. Avaliação do efeito da meia elástica na hemodinâmica venosa dos membros inferiores de pacientes com insuficiência venosa crônica. J Vasc Bras.. ;3(3):231-37.

França LHG, Tavares V. Insuficiência venosa crônica:uma atualização. J Vasc Bras.. ;2(4):318-28.

Moura RMF, Gonçalves GS, Navarro TP, Britto RR, Dias RC. Correlação entre classificação clínica CEAP e qualidade de vida na doença venosa crônica. Rev Bras de Fisioter.. ;14(2):99-105.

Longo Jr O, Buzatto SHG, Fontes AO, Miyazaki COM, Godoy JMP. Qualidade de vida em pacientes com insuficiência arterial crônica em membros inferiores. Revista da SBACV-RJ.. ;11(1).

Santos RFFN, Porfírio GJM, Pitta GBB. A diferença na qualidade de vida de pacientes com doença venosa crônica de leve e grave. J Vasc Bras.. ;8(2):143-47.

Leal J, Mansilha A. Como avaliar o impacto da doença venosa crônica na qualidade de vida. Angiologia e Cirurgia Vascular.. ;6(4):173-87.

Lima RCM, Santiago L, Moura RMF, Filaretti FAS, Souza CSA, Evangelista SSM. Efeitos do fortalecimento muscular da panturrilha na hemodinâmica venosa e na qualidade de vida em um portador de insuficiência venosa crônica. J Vasc Bras.. ;1(3):219-26.

Leal FJ. Validação no Brasil de questionário de qualidade de vida na doença venosa (AVVQ - Brasil). .

Ciconelli RM, Ferraz MB, Santos W, Meinão I, Quaresma MR. Tradução para a língua portuguesa e validação do questionário genérico de avaliação de qualidade de vida SF-36 (Brasil SF-36). Rev Bras Reumatol.. ;39(3):143-50.

Leal FJ, Couto RC, Pitta GBB, Leite PTF, Costa LM, Higino WJF, et al. Tradução e adaptação cultural do Questionário Aberdeen para Veias Varicosas. J Vasc Bras.. ;11(1):34-42.

Castro e Silva M, Cabral ALS, Barros N, Castro AA, Santos MERC. Diagnóstico e tratamento da doença venosa crônica. Normas de orientação clínica da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV). J Vasc Bras.. ;4(Suppl 2):S185-S194.

Costa LM, Higino WJF, Leal FJ, Couto RC. Perfil clínico e sociodemográfico dos portadores de doença venosa crônica atendidos em centros de saúde de Maceió (AL), Brasil. J Vasc Bras.. ;11(2):108-13.

Bertoldi CML, Proença RPC. Doença venosa e sua relação com as condições de trabalho no setor de produção de refeições. Rev Nutr.. ;21(4):447-54.

Moura RGF. Funcionalidade e qualidade de vida em idosos com doença venosa crônica. .

Gonçalves FDP, Marinho PEM, Maciel MA, Galindo Filho VC, Dornelas AA. Avaliação da qualidade de vida pós-cirurgia cardíaca na fase I da reabilitação através de questionário MOS SF-36. Rev Bras Fisioter.. ;10(1):121-26.

Tarlov AR, Ware JE Jr, Greenfield S, Nelson EC, Perrin E, Zubkoff M. The Medical Outcomes Study An application of methods for monitoring the results of medical care. JAMA.. ;262(7):925-30.

Smith JJ, Garratt AM, Guest M, Greenhalgh RM, Davies AH. Evaluating and improving health-related quality of life in patients with varicose veins. J Vasc Surg.. ;30(4):710-19.

Figueiredo M, Simão PP, Pereira BMA, Penha-Silva N. Eficácia da compressão pneumática intermitente (CPI) nos membros inferiores sobre o fluxo sanguíneo das veias femorais comuns. J Vasc Bras.. ;7(4):321-24.

Klem TM, Sybrandy JE, Wittens CH. Measurement of health-related quality of life with the Dutch translated Aberdeen Varicose Vein Questionnaire before and after treatment. Eur J Vasc Endovasc Surg.. ;37(4):470-76.

Kaplan RM, Criqui MH, Denenberg JO, Bergan J, Fronek A. Quality of life in patients with chronic venous disease: San Diego population study. J Vasc S.. ;37(5):1047-053.

Rabe E, Pannier F. What have we learned from the Bonn Vein Study?. Phlebolymphology.. ;13(4):188-94.

Macedo EAB, Oliveira AKA, Melo GSM, Nobrega WG, Costa IK, Dantas DV. Caracterização sócio-demográfica dos pacientes com úlcera venosa atendidos em um hospital universitário. Rev Enferm UFPE.. ;4(Suppl):1863-867.

Franks PJ, Bosanquet N, Brown D, Straub J, Harper DR, Ruckley CV. Perceived health in a randomised trial of single and multilayer bandaging for chronic venous ulceration. Phlebology.. ;(Suppl 1):17-9.

Figueiredo M. A terapia da compressão e sua evidência científica. J Vasc Bras.. ;8(2):100-02.

5de7ff6e0e8825623fe31d42 jvb Articles
Links & Downloads

J Vasc Bras

Share this page
Page Sections