Jornal Vascular Brasileiro
https://www.jvascbras.org/article/doi/10.1590/S1677-54492011000400009
Jornal Vascular Brasileiro
Brief Communication

Mini tunelizador moldável: um avanço técnico no acesso vascular para hemodiálise

Mini moldable tunneler: a technical improvement for hemodialysis access

Fabio Henrique Rossi; Nilo Mitsuru Izukawa; Akash Kuzhiparambil Prakasan; Gisleno Serafim Lustosa; Patrik Bastos Metzger; Fernanda Maria Angeliere; Eduardo da Silva Jordão; Bruno Lourenço de Almeida

Downloads: 0
Views: 94

Resumo

CONTEXTO: A confecção de fístula para hemodiálise pode envolver a criação de túnel para a acomodação do enxerto - veia autóloga ou prótese sintética. O trajeto e a extensão dependem do local escolhido para a realização das anastomoses e posicionamento do trajeto do enxerto. Na atualidade, os tunelizadores utilizados são constituídos de estruturas cilíndricas metálicas rígidas, que tornam necessário o uso de múltiplos tamanhos e conformações. OBJETIVO: Testar a utilização de um único mini tunelizador universal metálico e moldável na cirurgia de confecção de fístula para hemodiálise. MÉTODOS: Trata-se de um estudo piloto. O tunelizador desenvolvido consiste de uma estrutura cilíndrica e modular composta de fio de aço inoxidável moldável interno, com manopla em extremidade proximal e dupla ponta cônica intercambiável em extremidade distal e bainha cilíndrica externa de polietileno. O tunelizador foi utilizado em dez cirurgias de confecção de fístulas para hemodiálise em membros superiores e inferiores, e o sucesso de sua aplicabilidade e a frequência de complicações precoces foram observados. RESULTADOS: Suas características de maleabilidade e conformibilidade permitiram a utilização do mesmo tunelizador nos diversos tipos de fístulas realizadas. A ponta cônica distal com duplo diâmetro, intercambiável, permitiu que o mesmo aparato fosse aplicado na utilização de veia autógena ou prótese sintética. Todas as cirurgias foram seguidas de sucesso e com baixos índices de complicações precoces. CONCLUSÃO: A versatilidade do mini tunelizador metálico maleável e moldável permitiu sua utilização em todas as fístulas realizadas, independentemente do sítio das anastomoses e o trajeto de acomodação escolhido, sem complicações e com excelente índice de perviedade. Os dados sugerem que o mini tunelizador metálico maleável moldável pode ser utilizado com segurança e vantagens nas cirurgias de confecção de fístula para hemodiálise. Sua versatilidade e baixo custo de produção podem levá-lo a substituir os tunelizadores rígidos utilizados na atualidade e apontam para estudos mais elaborados e com casuística adequada para avaliação do real valor do novo instrumento.

Palavras-chave

fístula arteriovenosa, diálise renal, cirurgia

Abstract

BACKGROUND: Hemodialysis access fistula may involve creation of a tunnel for the accommodation of autologous vein or synthetic graft. The route and extent depend on the location of the anastomosis and fistula body.Currently, the tunnelers used are rigid metallic cylindrical structures. Various sizes and conformations may be necessary. OBJECTIVE: Testing the use of a mini universal moldable tunnel maker in hemodialysis access fistula surgical creation. METHODS: This is a pilot study. The tunneler developed consists of a cylindrical structure composed of stainless steel wire with a handle at the proximal end and dual interchangeable conical tip at the distal end. It is covered with a cylindrical sheath of polyethylene. Its technical surgical application and complications were studied during ten hemodialysis fistula creation. RESULTS: Characteristics of flexibility and conformability made possible the same mini tunnel maker to be used in various types of fistulas performed. The tapered distal tip with double diameter, interchangeable head, allowed the same apparatus to be used in autogenos and graft fistulas surgical creation. CONCLUSION: The same mini malleable tunneler was used in all fistulas, regardless of the site of anastomosis and type of fistula performed without complications and with excellent patency rate.

Keywords

fistula, renal dialysis, surgery

References

Blumenberg RM, Gelfand ML. A simple and inexpensive tunneler for use in peripheral vascular surgery. Surgery. 1974;75(2):305-7.

Parsonnet V, Driller J. A tunneler for bypass vascular surgery. Arch Surg.. 1973;106(2):236-7.

Rossi FH, Izukawa NM, Oliveira LA. Tunelizador maleável moldável universal na cirurgia de revascularização do membro inferior isquêmico. J Vasc Bras.. 2010;9(1):21-4.

Marx AB, Landmann J, Harder FH. Surgery for vascular access. Curr Probl Surg.. 1990;27(1):1-48.

Feldman HI, Held PJ, Hutchinson JT. Hemodialysis vascular access morbidity in the United States. Kidney Int.. 1993;43(5):1091-6.

Aman LC, Levin NW, Smith DW. Hemodialysis access site morbidity. Proc Clin Dial Transplant Forum. 1980;10:277-84.

Dobkin JF, Miller MH, Steigbigel NH. Septicemia in patients on chronic hemodialysis. Ann Intern Med.. 1978;88(1):28-33.

Yu VL, Goetz A, Wagener M. Staphylococcus aureus nasal carriage and infection in patients on hemodialysis: Efficacy of antibiotic prophylaxis. N Engl J Med.. 1986;315(2):91-6.

Munda R, First MR, Alexander JW. Polytetrafluoroethylene graft survival in hemodialysis. JAMA. 1983;249(2):219-22.

Kester RC. Arteriovenous grafts for vascular access in haemodialysis. Br J Surg.. 1979;66(1):23-8.

Schuman ES, Gross GF, Hayes JF. Long-term patency of polytetrafluoroethylene graft fistulas. Am J Surg.. 1988;155(5):644-6.

5dde831b0e882517037b23c6 jvb Articles

J Vasc Bras

Share this page
Page Sections